13 de outubro de 2010,  as 18hs sala 8, prédio I (professores).

Armand Mattelard. Sociedade do Conhecimento e Controle da Informação e da Comunicação. Conferência proferida na sessão de aberta do V Encontro Latino de Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura, realizado em Salvador, Bahia, Brasil, de 9 a 11 de novembro de 2005.

Armand-Mattelart-Sociedade-Conhecimento

Parágrafo de inspiração: ” Cultura, conhecimento, mídia. Todos esses campos têm algo em comum. Uma verdadeira política cultural indissociável a uma política de comunicação, ela própria indissociável de uma política de ensino e de pesquisa científica. E reciprocamente. Em outros termos, não haverá “sociedades de saberes” sem questionamentos sobre os processos de concentração capitalista das indústrias culturais que, se não tomarmos cuidado, correm o risco de prefigurar lógicas estruturais nos modos de implantação dos dispositivos do conhecimento.”

335px-Tux.svg

A próxima reunião do grupo de estudos foi excepcionalmente modificada para a sexta-feira, dia 01 de outubro às 18hs (sala a ser definida).

Para o encontro, sugiro a leitura desses pequenos textos, escritos pelo
próprio Richard Stallman.

(1) O que é o Software Livre?
http://www.gnu.org/philosophy/free-sw.pt-br.html

(2) Porque o Software Deveria Ser Livre
http://www.gnu.org/philosophy/shouldbefree.pt-br.html

(3) Introdução ao Projeto GNU
http://www.gnu.org/gnu/gnu-history.pt-br.html

(4) O Manifesto GNU
http://www.gnu.org/gnu/manifesto.pt-br.html

imagem-palestra-analucia-med

(1) Dia 8 de setembro, quarta-feira, das 18hs às 19:30,
Sala 8.
Projeção de Video (40 min) e Debate com a diretora.
O recurso à ficção e a pesquisa etnográfica. 
Debate com diretora: Profa. Dra. Ana Lúcia Marques
Camargo Ferraz (Pos-doutoranda no Departamento de
Antropologia da USP e professora da UFF.
Vídeo: Amores de Circo  (40min)
Sinopse: Uma Companhia de Circo-Teatro chega a uma
pacata cidade do interior. A família circence vive
o seu cotidiano enquanto os moradores  da cidade se
encantam com o circo. As relações com o Estado e os
temas do casamento e do adultério são revividos para
a etnoficção que parte de histórias vividas ou
imaginadas pelos  atores e atrizes de uma companhia da
tradição do circo-teatro brasileiro.
Texto da Ana Lúcia (diretora/antropóloga):
Etnoficcao-e-Reflexividade.pdf

(2) Dia 13 de setembro, segunda-feira, das 18hs às 19:30. 
Seminário organizado por Luis Filipe (história) com a
presença dos   professores Luis Ferla, Lilian Starobinas
e Henrique Parra.
Tema: Ciências Humanas e Tecnologias de Comunicação.

(3) Dia 20 de setembro, segunda-feira, das 18hs às 19:30 
Discussão do texto: Laymert Garcia dos Santos: Modernidade,
pós-modernidade e metamorfose da percepção In. Politizar
as novas  tecnologias: o impacto sócio-técnico da informação
digital e genética. São Paulo: Ed. 34, 2003.

(4) Dia 27 setembro (MODIFICADO p/ 13 de outubro - veja post acima) 
Discussão do texto: Armand Mattelard. Sociedade do Conhecimento e
Controle da Informação e da Comunicação.

No próximo semestre, na Unifesp (campus Guarulhos), daremos início às
atividades de um grupo de estudos dedicado a pesquisar as relações entre
as tecnologias de comunicação digital e a vida social. Pretendemos
explorar as transformações nas formas de produção/acesso ao conhecimento
e cultura, as formas de subjetivação e socialização emergentes, bem como
suas implicações econômicas e políticas.

Agora em junho, no dia 14/06 (segunda-feira) às 18:00 no Campus
Guarulhos, realizaremos um primeiro encontro aberto para pessoas
interessadas em participar desta iniciativa. Nesta ocasião, apresentarei
algumas idéias sobre as trajetórias de investigação e iremos combinar um
calendário de ações futuras.

A atividade está aberta a estudantes de todos os cursos e anos letivos.
Informações: henrique.parra@unifesp.br

Carta Aberta das Rádios e TVs Livres pela escolha do DRM (Digital Radio
Mondiale) como padrão técnico para o SBRD (Sistema Brasileiro de Rádio
Digital).

Através desta carta, nós de Rádios e TVs Livres expressamos nossas
reflexões sobre a melhor opção para o Rádio Digital no Brasil e no mundo.
Defendendo a livre apropriação do meio Rádio, por qualquer grupo de
pessoas que queira se expressar livremente, sem censura ou fronteira,
local e globalmente, somos a favor da escolha do DRM – Digital Radio
Mondiale – como o padrão de Rádio Digital a ser adotado no Brasil e no
Mundo.

Continue reading “Política Tecnológica: infos sobre padrão digital radio mondiale (DRM)”

Fonte: Folha de São Paulo/Opinião, São Paulo, quinta-feira, 29 de abril de 2010.
TENDÊNCIAS/DEBATES – p.A3

A quem interessa controlar a internet?

EDUARDO PARAJO
Há uma movimentação das empresas de telefonia para que sejam tratados de forma unificada dois serviços hoje distintos para acesso à rede.

NA ÉPOCA da privatização da telefonia, a comunicação dependia de linhas que, de tão caras, eram declaradas em Imposto de Renda. Ninguém imaginava que, hoje, as chamadas seriam via internet, muito menos que o cidadão viria a ter voz ativa na rede ou poderia aprender à distância, por meio de simples cliques. Essa mudança dos hábitos dos brasileiros, embora benéfica, não é simpática às empresas tradicionais de telefonia, acostumadas que estão a operar no Brasil sem concorrência. Há, por exemplo, uma movimentação dessas empresas para que sejam tratados de forma unificada e mantidos em única estrutura,
verticalizada, sob seu controle, os dois serviços hoje distintos para o acesso à internet.

Continue reading “Empresas de Telefonia X Provedoras de Acesso à Internet”

Reproduzo abaixo um excelente artigo sobre o ACTA – Acordo Comercial Anti-Falsificação (Anti-Counterfeiting Trade Agreement). Tal acordo terá grandes impactos sobre a produção e acesso ao conhecimento e bens culturais.

Por Florent Latrive (Le Monde Diplomatique francês).

Versão em portugues aqui: Como o ACTA ameaça nossa liberdade.(trad.Antonio Martins).

Eventos comemorativos são ricos em material simbólico. Momento de celebrar e fortalecer os valores comuns que dão forma às identidades coletivas. Hoje, dia de Tiradentes e 50 anos de Brasília, o fotógrafo Eraldo Peres captou um instante potente em seus sentidos. O texto da legenda não descreve, dissimula, tamanha a ironia da cena. Está tudo lá….Brasília, a catedral católica, a Disney, a Nestlé e toda a gente…

Brasilia-50-Nestle-Disney

Fonte da fotografia: http://noticias.uol.com.br/album/brasilia_50_album.jhtm?abrefoto=11

Vejam o resultado do concurso anual (ref.2009) de Visualização de Dados na Ciência, realizado pela revista Science.

As imagens inspiram questões sobre representação visual, simulação, divulgação científica e a relação entre o uso de imagens a produção de conhecimentos.

http://www.sciencemag.org/special/vis2009/show/

save-our-earth

MAIS INFORMAÇÕES: http://www.culturadigital.org.br/site/lda

Evento acontece no dia 13 de março, em São Paulo, e reúne gestores, organizações da sociedade civil, pesquisadores e educadores para debater a reforma da lei de direitos autorais; consulta pública deve ser lançada em abril

As tecnologias digitais ampliaram consideravelmente as possibilidades de acesso à informação e ao conhecimento e têm entusiasmado educadores, pesquisadores e estudantes no debate sobre a incorporação desses recursos na escola para melhorar a qualidade da educação.

No entanto, a legislação de direitos autorais em vigor apresenta restrições ao pleno desenvolvimento dos processos educativos. A Lei de Direitos Autorais (a chamada LDA, lei 9.610, de 1998) não permite que músicas, filmes, fotos, cópias de textos – mesmo aqueles que estão fora de circulação comercial – sejam usados para fins didáticos e educacionais. Escolas e universidades, assim como organizações não-governamentais que trabalham com atividades de formação, estão sujeitas a esses limites.

Na Folha de S.Paulo deste domingo, 7 de março de 2010, foi publicado um artigo da ministra e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, ELLEN GRACIE NORTHFLEET, que apresenta uma importante controvérsia sobre as novas fronteiras da propriedade intelectual. Como o assunto é de interesse geral para os temas pesquisados, registramos a matéria.

Fonte: Folha de S.Paulo – http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0703201008.htm


Patentes de invenção e monopólio ELLEN GRACIE NORTHFLEET


LOGO CHEGARÁ ao Brasil um assunto que suscita grande interesse nos meios jurídicos e econômicos norte-americanos. A Suprema Corte prepara-se para decidir um caso que deverá dar conformação nova à proteção que tradicionalmente é conferida à propriedade intelectual, redefinindo aquilo que pode ou não ser objeto de patente de invenção.
Dois empresários, Bernard Bilski e Rand Warsaw, requereram o registro de patente de um método pelo qual as empresas, os particulares e inclusive os fornecedores poderiam elaborar previsão mais acurada dos custos de energia, até mesmo em condições de variações climáticas extraordinárias.
A negativa desse registro pelo Departamento de Patentes e Marcas Registradas desencadeou a ação que agora alcança o mais alto grau de jurisdição.

Continue reading “Controvérsia: Patentes de invenção e monopólio”

Dissenso político, disputa informacional, guerra de imagens, sub-versões…

Nova ação do grupo ativista “Yes Men” que colocou no ar um site clone do Fórum Economico Mundial (World Economic Forum).

Site mais do que original: http://www.we-forum.org/en/index.shtml

Site oficial do WEF : http://www.weforum.org/en/index.htm

“Cultura, conhecimento, mídia. Todos esses campos têm algo em comum. Uma verdadeira política cultural indissociável a uma política de comunicação, ela própria indissociável de uma política de ensino e de pesquisa científica. E reciprocamente. Em outros termos, não haverá “sociedades de saberes” sem questionamentos sobre os processos de concentração capitalista das indústrias culturais que, se não tomarmos cuidado, correm o risco de prefigurar lógicas estruturais nos modos de implantação dos dispositivos do conhecimento.”

Armand Mattelart, Sociedade do Conhecimento e Controle da Informação e da Comunicação