Gostaria de parabenizar e agradecer a todos os professores e professoras que estiveram presentes ontem no Campus e no Ato e também aos alunos e funcionários. Foram momentos muito tensos e marcantes mas que culminaram num Ato bem sucedido e sem incidentes  desagradáveis. Bem verdade que a situação navegou num limiar muito difícil, mas graças ao empenho de todos que zelaram pela organização do ato e pelo controle dos ânimos, conseguimos garantir o direito de voz e opinião a absolutamente todas as pessoas, inclusive daqueles que tentaram impedir a realização do ato.

Fiquei muito feliz em compartilhar com vocês este dia que foi, para mim, um momento de refundação da nossa Escola e de sua comunidade  política. No exercício de nossas atividades profissionais, sinto que o engajamento e a energia que depositamos na construção de nossa  escola, em especial neste momento de crise, vai muito além do que poderiam ser as atribuições funcionais de cada um. É neste  transbordamento, nesta dedicação imensurável, que vejo a riqueza de nossas relações e que constrõem, de fato, as instituições que queremos.

[nggallery id=1]

Acompanhei ontem a assembléia dos estudantes da EFLCH/Unifesp. Não farei nenhuma observação ou juízo neste momento e local (web=público) sobre a situação atual em que estamos. Limito-me à seguinte observação: a multidão presente estava absolutamente dividida em dois grandes blocos unitários. Preocupa-me o modo como em ambos os lados, uma mesma forma de subjetivação/identificação estava operando.

Deixo aqui três sugestões PARA TODOS neste final de semana. Há momentos em que a arte e a imaginação podem oferecer antídotos ao pensamento endurecido. Pergunta: como fazer diferente? Desconfio das respostas fáceis.

 

Filmes:

Bom Dia, Noite – http://www.imdb.com/title/tt0377569/

A Onda – http://www.imdb.com/title/tt1063669/

 

A terceira dica é a introdução (2 páginas) do Foucault à versão americana do livro “O Anti-Édipo”, Deleuze & Guattari:

PDF – foucault_anti_edipo